Abertura da Colheita do Arroz

cadastre-se

Na Planeta Arroz os usuários cadastrados têm muitas vantagens. Faça o seu cadastro grátis.

cadastre-se agora
Assine 5
news

rss

Na Planeta Arroz você pode conferir as últimas novidades através de Feeds RSS. Confira:

notícias
artigos

notícias

16.11.2020 | SAFRA - por Fernando Soares / ZH

MST e Irga iniciam pesquisa para melhorar manejo do arroz orgânico no RS

Dos 5 mil hectares cultivados sem químicos no Estado, aproximadamente 4 mil, ou 80% do total, estão situados em assentamentos ligados ao MST

imagem Primeira fase de pesquisa começou neste mês Foto: Maiara Rauber/MST

 

 

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra no Rio Grande do Sul (MST-RS) e o Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga) estão fazendo um checkup completo na produção de arroz orgânico. Neste mês, as organizações iniciaram a primeira fase de um projeto voltado à melhora no manejo das lavouras do cereal sem agrotóxicos. Utilizando como laboratório áreas nos assentamentos em Nova Santa Rita, Eldorado do Sul e Viamão, a experiência pretende nos próximos três anos aperfeiçoar e corrigir o atual método de cultivo do alimento.

- Vamos estudar o que é feito hoje nas propriedades e, a partir disso, iniciar toda uma discussão da revisão do manejo técnico. Isso envolve todo o processo produtivo, do preparo do solo, as sementes utilizadas, a semeadura e o pós-semeadura - diz Emerson Giacomelli, coordenador do Grupo Gestor do Arroz Agroecológico do MST.

O arroz orgânico atualmente responde por 0,5% da área plantada no Estado. Dos 5 mil hectares cultivados sem químicos no Estado, aproximadamente 4 mil, ou 80% do total, estão situados em assentamentos ligados ao MST. Giacomelli, destaca que, a partir da pesquisa com o Irga, a meta é aumentar a produtividade para 140 sacas por hectare nos próximos anos. Atualmente, as lavouras atingem, em média, entre 90 e 100 sacas.

Técnico orizícola do Irga, Edivane Portela nota maior interesse dos produtores gaúchos em plantar o arroz de maneira orgânica. O menor custo produtivo é um dos atrativos. Em geral, a lavoura sem agrotóxicos demanda ao menos 70 sacas por hectare para se pagar. Já no manejo convencional, a produtividade chega em média a 140 sacas, mas os custos podem equivaler a até 155 sacas, segundo Portela.

- A maior dificuldade que se tem hoje para o avanço do arroz orgânico é a difusão do conhecimento. O plantio tem um custo muito inferior ao sistema convencional - compara.

Neste sentido, a pesquisa conduzida por Irga e MST deverá resultar em uma revisão bibliográfica do cultivo do arroz agroecológico. Os materiais produzidos nos próximos meses serão disponibilizados aos produtores interessados no manejo sem produtos químicos.

 

 


Enviar notícia para um amigo

Deixe o seu comentário.
Para isso, é necessário estar logado.

esqueci minha senha enviar

Se você é um novo usuário, faça o seu cadastro gratuitamente.

Todos os direitos reservados - Copyright 2020 - Planeta Arroz

Desenvolvido por dzestudio