Facebook

cadastre-se

Na Planeta Arroz os usuários cadastrados têm muitas vantagens. Faça o seu cadastro grátis.

cadastre-se agora
assine 3
news

rss

Na Planeta Arroz você pode conferir as últimas novidades através de Feeds RSS. Confira:

notícias
artigos
banner5

notícias

01.04.2020 | INTERNACIONAL - por Cleiton Evandro dos Santos - AgroDados - Planeta Arroz

Preços do arroz atingem maior alta em seis anos na Ásia

Tailândia e Vietnã enfrentam seca e danos causados ​​pela água salgada e urbanização em áreas de cultivo

imagem Um leito de rio ressecado na província vietnamita do sul de Tien Giang Foto: AVF

Os preços internacionais do arroz subiram, com as secas mantendo a produção baixa nos principais exportadores da Tailândia e do Vietnã, enquanto as compras movidas pelo pânico em meio à pandemia de coronavírus também estão diminuindo a oferta.

O preço de exportação de referência do arroz cultivado na Tailândia atingiu cerca de US$ 550 a tonelada no final de março, o maior desde agosto de 2013, segundo a comissão de comércio do país. O arroz vietnamita também ultrapassou US$ 400 a tonelada, um nível não observado desde dezembro de 2018.

Em fevereiro, o Departamento de Agricultura dos EUA projetou um comércio global de arroz em 2020 de 45,3 milhões de toneladas, queda de 700.000 toneladas em relação à previsão de janeiro. O mundo produzia cerca de meio bilhão de toneladas de arroz por ano, mas principalmente para consumo doméstico. O volume de comércio é menor que o da farinha, tornando os preços do arroz suscetíveis a oscilações na oferta e demanda internacional.

A Tailândia embarcou ao exterior cerca de 11,1 milhões de toneladas de arroz em 2018 e o Vietnã cerca de 6,6 milhões de toneladas, de acordo com o USDA. Eles ficaram atrás apenas da Índia e foram responsáveis ​​por 23% e 14% do mercado. Um grupo comercial da Tailândia vê as exportações do país caírem para 7,5 milhões de toneladas em 2020. Também não é esperado aumento significativo para o arroz vietnamita.

Uma questão é a falta de água. As principais áreas de cultivo da Tailândia ficam ao longo do rio Chao Phraya, enquanto as do Vietnã estão no delta do rio Mekong. As chuvas nas áreas a montante caíram cerca de 30% em relação aos níveis normais desde agosto de 2019, de acordo com relatos da mídia. Essa crise é pior do que em 2016, que foi a mais grave dos últimos anos, de acordo com o chefe de um instituto de pesquisa em agricultura orgânica do Vietnã.

A construção da barragem em expansão é outro fator. A área a montante do rio Mekong, no sul da China, abriga 11 barragens, com planos para mais 10. A vazão nas regiões a jusante diminuiu, permitindo que a água do mar flua a montante.

Se a seca continuar até junho, a colheita de arroz de fevereiro a julho na Tailândia cairá pela metade no ano, prevê o SCB Economic Intelligence Center, uma unidade do Siam Commercial Bank .

Urbanização significa menos terra para o cultivo de arroz. O Vietnã tinha 7,47 milhões de hectares disponíveis em outubro, queda de 1,2% no ano, segundo o Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural.

Teme-se que preços mais altos levem à inflação em países compradores como China, Indonésia e Nigéria. Os preços das importações estão subindo nesses países em desenvolvimento ou produtores de petróleo, pois suas moedas enfraqueceram em meio à desaceleração econômica global e à queda dos preços do petróleo. Se os preços do arroz continuarem subindo, o consumo nessas economias poderá esfriar significativamente.




Enviar notícia para um amigo

Deixe o seu comentário.
Para isso, é necessário estar logado.

esqueci minha senha enviar

Se você é um novo usuário, faça o seu cadastro gratuitamente.

Todos os direitos reservados - Copyright 2020 - Planeta Arroz

Desenvolvido por dzestudio