sulfacal

cadastre-se

Na Planeta Arroz os usuários cadastrados têm muitas vantagens. Faça o seu cadastro grátis.

cadastre-se agora
Assine 5
news

rss

Na Planeta Arroz você pode conferir as últimas novidades através de Feeds RSS. Confira:

notícias
artigos
Facebook

notícias

05.12.2019 | INTERNACIONAL - por Cleiton Evandro dos Santos - AgroDados - Planeta Arroz

Preços internacionais caem em novembro

Em 11 meses a queda do indicador da FAO é de 0,6%

O índice de preços mundiais do arroz (2002/04= 100) da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO) registrou média de 222,8 pontos em novembro de 2019, com a queda de 1,5% em comparação com outubro, confirmando um período de seis meses de baixa.
As cotações do arroz aromático lideraram o declínio do índice de novembro ou regredir em mais 6% de seu valor. A queda foi causada pela época de colheita do Hom Mali (Jasmin tailandês) que entrou no mercado bastante ofertado e um certo desconforto em relação a perspectivas de vendas para o Irã, adicionado à pressão de queda já exercidad nas cotações do Basmati por causa da grande safra que é esperada.

Segundo a economista sênior da FAO, Shirley Mustafa, os subíndices do Índica e do Japônica também diminuiu 1%, cada um, em meio à pressão de colheita e os esforços para atrair vendas novas. Por outro lado, o subíndice de Índica de qualidade superior acenou com uma retração de 0,6%.

Os mercados asiáticos de arroz em novembro mostraram-se fracos, em geral, por caisa de colheitas maiores e demandas menores. Na Índia, a rupia mais fraca também contribuiu para quedas de preços, que foram registradas, não obstante alguns atrasos de colheita e um forte início de campanha de contratos públicos do estado.

O ambiente de negociação geralmente calmo que prevaleceu durante o mês também forneceu pouco espaço para evolução das cotações tailandesas e vietnamitas, embora haja sinais de que as Filipinas pode retomar o interesse em compras no Vietnã, assim como a força do Baht da Tailândia, combinado com as preocupações com o impacto da falta de tempo de produção podem afetar os preços.

Nas Américas, os preços do arroz de grão longo dos EUA0 pouco variaram, enquanto os do Brasil apresentaram leve queda em conjunto com os movimentos da moeda. Por outro lado, as cotações subiram na Argentina, influenciada por aumentos nos custos de combustível e pressão inflacionária geral, e no Uruguai por causa das menores disponibilidades.

De acordo com o Índice, os preços internacionais do arroz nos primeiros onze meses de 2019 foram 0,6% inferiores aos níveis do ano anterior, com quedas nas cotações do Indica parcialmente compensados por ganhos em Japônica e arroz aromático.


Enviar notícia para um amigo

Deixe o seu comentário.
Para isso, é necessário estar logado.

esqueci minha senha enviar

Se você é um novo usuário, faça o seu cadastro gratuitamente.

Todos os direitos reservados - Copyright 2020 - Planeta Arroz

Desenvolvido por dzestudio