Facebook

cadastre-se

Na Planeta Arroz os usuários cadastrados têm muitas vantagens. Faça o seu cadastro grátis.

cadastre-se agora
news
assine 3

rss

Na Planeta Arroz você pode conferir as últimas novidades através de Feeds RSS. Confira:

notícias
artigos
Assine 4

notícias

17.10.2019 | EXPORTAÇÃO - por Notícias Agrícolas

Cenário do arroz brasileiro muda, exportações disparam e pode faltar produto no mercado

Previsão é para o mercado interno entre novembro e janeiro

Um cenário de alta do câmbio com o dólar a cima dos R$ 4,00 favoreceu as exportações de arroz brasileiro ao invés das importações, alterando a realidade do mercado deste grão no país.

De acordo com o presidente da Federarroz, Alexandre Velho, as expectativas no início do ano eram de exportações na casa das 900 mil toneladas e importações próximas as 1,3 milhões de toneladas. Porém, até o momento, já foram registradas 1,4 milhões de toneladas exportadas e apenas 950 mil importadas.

Outro combustível para este resultado foi a busca por novos mercados para o arroz brasileiro, como o México, que deve comprar uma grande quantidade de arroz nacional, e o Iraque, que já fechou alguns negócios e deve importar outras 30 mil toneladas ainda em 2019.

Apesar deste novo panorama positivo, a área da atual safra de arroz no Rio Grande do Sul deve ser cerca de 5% menor do que a do ano passado, ficando próxima dos 940 mil hectares, de acordo com dados levantados pelo Irga.

Sendo assim, Velho alerta para a possibilidade de faltar arroz no mercado brasileiro entre os meses de novembro e janeiro e que os preços ao consumidor final devem subir em breve diante desta perspectiva.




Enviar notícia para um amigo

comentários (13)

17/10/2019 - Edereson Diehl ( - AC)
Até q enfim abriram a 'caixinha de Pandora', pq quando diziam estarem importando mesmo com dólar alto, deveriam estar pagando mais de,R$55,00 por saco com dólar a R$4,20. Ano q vem dólar poderá chegar até R$5,00 por conta da crise mundial q se aproxima. Mas devemos manter a vigilância e diminuir área pra manter preços compensadores. Pq justamente agora querem largar a isca, mas o tempo não está colaborando e a época ideal está passando pro plantio.
18/10/2019 - Flavio Evandro (Santa Maria - RS)
Se plantassemos 800.000 hectares teriamos R$ 50 de preço na safra... Como plantaremos 940.000 hectares o preço cairá para R$ 40 na colheita... A industria não tem mais argumentos para incentivar o produtor então vem com mentiras ou inverdades!!! Ninguém mais cai nessas histórinhas... Quanto mais reduzimos area... Quanto mais o pessoal faz a sua parte o preços reagem!!! E soja na varzea...
18/10/2019 - Carlos Cogo (Porto Alegre - RS)
Na notícia acima, não está claro a que período se refere o presidente da Federarroz. Se o período analisado é o ano civil, entre janeiro e setembro de 2019, as exportações atingiram 986 mil toneladas (base casca) e não as 1,4 milhão de toneladas citadas na matéria. Quanto às importações, entre janeiro e setembro de 2019, atingiram 770 mil toneladas (base casca) e não as 950 mil toneladas (base casca) citadas na matéria. Se considerarmos o ano-safra 2018/2019 (fevereiro/2019 a setembro/2019), foram exportadas 761 mil toneladas (base casca) e importadas 652 mil toneladas (base casca).
19/10/2019 - MARCO AURELIO TAVARES (Porto Alegre - RS)
A título de esclarecimento:
O período não referido na matéria acima se refere aos últimos doze meses(out/2018 a set/2019). Com números mais precisos, foram exportadas no período( 553, 4 mil T + 986 mil T) totalizando 1,540 milhão de toneladas( acima das 1, 4 milhão mencionadas) e as importações no período alcançaram ( 251, 2 mil T + 770 mil T) totalizando 1.,02 milhão de toneladas(950 mil t) e o superávit no período alcançou 519 mil T(450 mil T), inclusive acima dos dados mencionados na reportagem.
Marco A. Tavares
Diretor de Mercado da Federarroz
Abraço Cogo
19/10/2019 - Carlos Azambuja (Camaquã - RS)
E o sobre os estoques , alguém poderia se manisfestar ? Federarroz ? Carlos Cogo ?
19/10/2019 - Flavio Evandro (Santa Maria - RS)
Prá quem tem um excedente de 2 milhões de toneladas e ainda tem que absrover 1 milhão de toneladas do Mercosul isso é muito pouco. Não vejo o que comemorar!!! Com a redução de área a demanda e oferta estão se ajustando... O ideal é aumentar ainda mais as exportações e reduzir uns 20% a área cultivada... Nem todo ano é igual... Nem sempre as exportações se abrem e se o governo passar a onerar os exportadores na Lei Kandir a vaca vai pro brejo!!! O arroz dá menos previsibilidade ao produtor... A soja dá mais!!! Muito mais...
21/10/2019 - Victor Hugo de Almeida Almeida (Fortaleza - CE)
Finalmente os produtores estão entendendo que quanto maior a oferta menor será o preço ..

Reduzam a oferta que os preços melhoram ..
21/10/2019 - Fernando Moura Nasib (São Borja - RS)
Pelo que se vê existe uma desinformação no ar. Excelente a ponderação do Carlos Cogo. A informação mais coerente e logica é a apresentada por ele, aonde devemos levar em consideração o ano Safra e não um período desconexo com a normalidade e que pode remeter a decisões erradas por parte dos produtores. Vejam como muda totalmente a realidade com a informação correta ..... ou seja a foto era bonita depois se tornou totalmente embasada !
21/10/2019 - MARCO AURELIO TAVARES (Porto Alegre - RS)
Sr. Carlos Azambuja: Nos últimos relatórios e publicados no dia 10/10: A Conab prevê um estoque de passagem em 28/02/2020 de 521 mil T e o USDA: 338 mil T. ou seja,ambos, bastante ajustados!
21/10/2019 - Fernando Moura Nasib (São Borja - RS)
Esqueçam os números sobre estoque de passagem.

Alguém aqui já recebeu um pesquisador em sua propriedade para conferir o estoque de passagem ?

Com certeza não. Apenas recebeu uma cartinha para, se tiver tempo, enviar para a Conab informando o estoque que ele achar mais bonito.
Assim como todas as industrias do estado, somente recebem uma carta para informar o quanto acharem melhor.

Ou seja o estoque de passagem é uma furada !

Se o estoque de passagem estivesse correto o arroz em casca deveria estar no minimo R$ 50,00 a saca.
21/10/2019 - Pedro Paulo (Porto Alegre - RS)
Coisa boa, agora então com a falta de arroz, vai melhorar a qualidade do pacote das marcas que vemos nas gondolas de todo o Brasil e principalmente em POA.
Mandei classificar muitas marcas que são vendidas na região metropolitana como e todos deram classificação diferente do que continha na embalagem. Gostaria de os leitores de Planeta Arroz, fizessem uma denuncia, comprando os pacotes de diversas marcas e fossem ao ministério da agricultura denunciar estas empresas, que estão enganando o consumidor.
21/10/2019 - Flavio Evandro (Santa Maria - RS)
Em Sao Borja se paga R$ 50... O problema que eh pelo 409/417... O 424 eh que nao eh valorizado e segue como valvula de escape (pois eh vendido no pacote como tipo 1) vale R$ 43... Eh isso que judia do produtor... Nao vejo tanta diferenca para pagarem 6 ou 7 pila a menos !!! Em marco eu avisei que ia ser estoque justo para passar o ano... Que bom!!! como adoram importar do Mercosul e vamos produzir 2 milhoes de toneladas alem do nosso consumo tera sobra de arroz no ano que vem...Ou nao??? Ou tudo eh so no papel??? Nao existem esses estoques... Acabando os custeios veremos!!!
22/10/2019 - Jean Ferrucci (Uruguaiana - RS)
Boas Palavras Sr. Pedro Paulo, aqui em Uruguaiana tem Arroz T1 que não serve nem pra cachorro...

Deixe o seu comentário.
Para isso, é necessário estar logado.

esqueci minha senha enviar

Se você é um novo usuário, faça o seu cadastro gratuitamente.

Todos os direitos reservados - Copyright 2019 - Planeta Arroz

Desenvolvido por dzestudio