Facebook

cadastre-se

Na Planeta Arroz os usuários cadastrados têm muitas vantagens. Faça o seu cadastro grátis.

cadastre-se agora
news
assine 3

rss

Na Planeta Arroz você pode conferir as últimas novidades através de Feeds RSS. Confira:

notícias
artigos
Assine 4

notícias

06.11.2017 | SAFRA

Nova dimensão

Safra brasileira vai cair em produtividade e área

A safra brasileira de arroz 2017/18, que está em plantio, será marcada pela diminuição no tamanho da área, mas em especial por queda na produtividade média obtida em todas as regiões. Por isso, a produção nacional deve ser menor entre 3,8% e 4,7%, consolidando uma safra entre 11,75 milhões de toneladas e 11,85 milhões de toneladas.

A estimativa é da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Na temporada 2016/17 foram colhidas 12,327 milhões de toneladas, volume expressivo para um país que consome 11,5 milhões de toneladas e ainda recebe mais de 1 milhão de toneladas do Mercosul, sem contar os estoques públicos e privados.

Segundo a Conab, a área semeada na temporada 2017/18 tem limite mínimo de 1,955 milhão de hectares e máximo de 1,986 milhão de hectares, diante de 1,980 milhão semeado na safra 2016/17. A produtividade é estimada em 5.989 quilos por hectare, inferior em 3,8% aos 6.223 quilos por hectare obtidos no ciclo anterior.

O primeiro levantamento, divulgado em outubro pela companhia, deve sofrer ajustes mensais. O setor considerou os números “otimistas” diante do atual quadro conjuntural de preços e custos e dificuldades de acesso ao crédito e de exportar.

Em termos regionais há poucas alterações na configuração da safra nacional. A Região Sul concentrará novamente 80% da produção. Nos menos de 20% restantes, destaque para o terceiro maior produtor brasileiro, o Tocantins.

A Região Norte é a segunda em importância no abastecimento de arroz no país e cultivará 271,1 mil hectares, a depender de variáveis como a capacidade financeira dos agricultores.

O Nordeste mais uma vez reduzirá a cultura de sequeiro e a produção total deve cair em 15,7%, até 368 mil toneladas no ciclo 2017/18. Com alternativas mais rentáveis, o Sudeste deve colher 54,5 mil toneladas de arroz, em queda.

A Centro-Oeste é terceira maior região de arroz no país graças ao Mato Grosso e à tecnologia de cultivo de terras altas e arroz irrigado na safrinha. Mas reduzirá o plantio para ocupar espaço com soja e milho de segunda safra. Baixa liquidez, mercado restrito e alta nos custos da produção atrapalham a orizicultura local. A produtividade deve cair 3,2%, para 3.553 quilos, e a colheita máxima será de 701,4 mil toneladas, com queda prevista de 4,2%.

Edição 64

publicado na edição

Edição 64
Novembro de 2017

Veja o conteúdo

Disponível
Versão Impressa




Enviar notícia para um amigo

Deixe o seu comentário.
Para isso, é necessário estar logado.

esqueci minha senha enviar

Se você é um novo usuário, faça o seu cadastro gratuitamente.

Todos os direitos reservados - Copyright 2019 - Planeta Arroz

Desenvolvido por dzestudio