Facebook

cadastre-se

Na Planeta Arroz os usuários cadastrados têm muitas vantagens. Faça o seu cadastro grátis.

cadastre-se agora
assine 3
news

rss

Na Planeta Arroz você pode conferir as últimas novidades através de Feeds RSS. Confira:

notícias
artigos
Assine 4

artigos

20.07.2019 | Internacional | artigo inédito

Os acordos de comércio de arroz Iraque-EUA

por Annie Ourso Landry - Business Report - USA

O Ministério do Comércio do Iraque comprou na última quinta-feira mais 60 mil toneladas de arroz dos Estados Unidos (EUA), que é a mais recente de uma série de acordos de arroz entre os dois países, gerando uma significativa vantagem econômica para a indústria agrícola da Louisiana.

Nos últimos dois anos, o Iraque encomendou 300.000 toneladas de arroz dos EUA, muitos dos quais vêm de produtores e usinas de Louisiana e são embarcados no porto de Lake Charles.

A mais recente venda de arroz segue-se a uma reunião em meados de junho entre o representante dos EUA Ralph Abraham e o ministro do Comércio iraquiano, Mohammed Hashim Abdul-Majeed Jasim. O congressista liderou os esforços para desenvolver uma relação comercial mais forte com o Iraque nos últimos anos, escrevendo várias cartas em apoio ao comércio de arroz estadunidense. 

A Louisiana é o terceiro maior produtor de arroz do país. A safra é uma das principais commodities do estado, gerando cerca de US$ 372 milhões em impacto econômico em 2017, de 2,7 bilhões de libras de arroz (1,23 milhão de toneladas) produzido, de acordo com estatísticas fornecidas pelo escritório de Abraham.

O Iraque é um importante mercado de exportação de arroz, consumindo quase 1,4 milhão de toneladas por ano, quase todas importadas. Mas há anos os EUA não têm conseguido colocar-se em termos de comércio com o Iraque devido a relações tensas. Isso começou a mudar graças a um memorando de entendimento de 2016 e ao trabalho de Abraham e outros líderes norte-americanos que aprofundaram as relações comerciais no Iraque.

"O Iraque está começando a se acostumar a fazer negócios conosco novamente", diz John Owen, presidente do Conselho de Promoção de Arroz da Louisiana. “É um mercado enorme para a Louisiana. Nós vamos preencher a maior parte desse negócio de exportação. Mas também ajuda Arkansas, Texas, Mississippi - na maré alta flutuam todos os barcos. ”

O Iraque basicamente passou de “um mercado em que não vendemos nada até agora para ser o segundo maior mercado de arroz branco do mundo”, diz Scott Franklin, presidente da Associação de Produtores de Arroz do Nordeste da Louisiana.

E o impacto econômico é generalizado para a Louisiana, diz ele. Dos produtores de arroz e das usinas aos trabalhadores nos portos do sul da Louisiana, o comércio de arroz do Iraque beneficia todos os envolvidos.

"Temos uma imensa quantidade de infra-estrutura de moagem, bem como instalações de ensacamento, o que nos dá uma vantagem porque podemos atender à demanda", frisa Franklin. "Para o sudoeste regional da Louisiana, é um grande negócio que afeta mais do que apenas os produtores de arroz".

Franklin e Owen, em grande parte, creditam Abraham por abrir o comércio de arroz com o Iraque.

"O povo iraquiano faz negócios preferencialmente com pessoas que se encontram cara a cara", diz Franklin. “No geral, é muito difícil encontrar alguém capaz de fazer essa conexão. O dr. Abraham realmente abriu as portas para esse relacionamento.




Enviar artigo para um amigo

Deixe o seu comentário.
Para isso, é necessário estar logado.

esqueci minha senha enviar

Se você é um novo usuário, faça o seu cadastro gratuitamente.

Todos os direitos reservados - Copyright 2019 - Planeta Arroz

Desenvolvido por dzestudio